domingo, 13 de setembro de 2015

Conversando e voando com pilotos mais experientes

Conversando e voando com pilotos mais experientes, aprendemos a avaliar a distância, a altitude da aeronave e a velocidade em relação  à pista, e, sem referências no solo, executarmos o circuito padrão para pouso. Aliás, coisa que todos os pilotos recem-brevetados  e os pilotos com pouca experiência  deveriam fazer era escutar os mais  antigos.
Aprenderiam muitas coisas que não são ensinadas nas escolas.
Muitas mesmo. Macetes sobre determinadas aeronaves, dicas sobre como se safar de mau tempo, orientações de como preparar uma navegação, entre outros. Apesar de hoje existir o GPS e ser necessário só inserir  as coordenadas geográficas para o destino aparecer na telinha, ainda assim é sempre bom conversar com pilotos mais experientes, tirar dúvidas e não ter vergonha de perguntar. Todos sabemos que a teoria na prática é outra. Ou quase. O piloto novo, ou com pouca experiência,tem que ter a consciência de que ele é apenas brevetado. Ele tem uma carteira de piloto. Só que carteira  não voa. Experiência, somada ao bom-senso, somada à sorte, somada à decisões acertadas fazem o piloto aposentar -se.  Autoafirmação, arrogância e contrariar o bom-senso encurtam a carreira do aviador.
Saber respeitar um por do Sol, o nível de combustível  e nunca tentar enfrentar a meteorologia, são atitudes sábias. Achar que dá para voar e chegar é meio caminho para um voo incerto.
Ou dá ou não dá. E se, por acaso, resolver decolar, que  tenha a humildade de retornar ou fazer um pouso alternativo em função do mau tempo. E aguardar;não insistir. Enfim, ouvir atentamente e colocar em prática as dicas e macetes que ajudam, e muito. As "putas velhas" da aviação têm muito o que contar. Erros e acertos que servem de lição. Muitas vezes, os erros são encobertos por terra, infelizmente. Ficar atento a essas dicas e macetes seguros ajuda e facilita. Bom-senso acima de tudo.Sempre.